A nova campanha do CFN é contra o desperdício e a favor do consumo sustentável.

Elaboramos uma cartilha que fala sobre isso. Nela você encontra informações sobre a quantidade de alimentos que o Brasil joga fora por conta de falhas no processo de produção, na logística de transporte e no acondicionamento impróprio.

Os equívocos sobre as formas que os alimentos são comercializados também contribuem para que eles demorem a chegar ao consumidor. Esse período de tempo pode comprometer a aparência e a qualidade estabelecida pelo mercado, o que não significa que indubitavelmente devem ser descartados.

É necessário observar bem os alimentos. Frutas e legumes com marcas superficiais não estão necessariamente estragados. Temos de saber aproveitá-los de maneira integral, procurando opções simples e saudáveis, como receitas que usam talos, folhas e cascas de origem orgânica, por exemplo.

Não é razoável aceitar o impacto do desperdício para as famílias brasileiras. O custo não é só financeiro. É social, é ambiental e aflige direitos humanos que, nem sempre, são garantidos.

Acesse aqui a cartilha.