O nutricionista é o único profissional habilitado a prescrever dietas, bem como realizar assistência e educação nutricional aos indivíduos e à coletividade. Essa atividade privativa abrange o exame clínico físico, a análise de indicadores antropométricos e bioquímicos, além dos hábitos e das condições alimentares do paciente, da família e da região onde vive. Apenas uma alimentação variada, com alimentos in natura ou minimamente processados, adequada tanto em quantidade como em qualidade, acessível e que respeite as necessidades e as tradições socioculturais, pode promover a saúde individual ou coletiva.
Na internet, têm leigos e charlatões vendendo fórmulas “rápidas e milagrosas” para a perda de peso. Um deles chegou ao ponto de prometer a redução de medidas sempre no mesmo dia da semana. Outros cobram taxas irrisórias de R$ 30,00 por serviços pífios e que colocam todos em risco. O CFN combate esse tipo de ação e reforça a importância da consulta presencial ao nutricionista para a elaboração de planejamento alimentar e a adoção de dietas. É preciso respeitar as particularidades de cada um, assim como as suas preferências durante o tratamento. Dieta de blog não vale a sua saúde!

O presidente do Conselho Federal de Nutricionistas, Élido Bonomo, comenta o assunto:

Falsas promessas

É crescente a quantidade de informações sobre alimentação e nutrição. Geralmente, estão relacionadas ao emagrecimento, à “limpeza” do corpo ou à “potencialização” da saúde com o uso de procedimentos e produtos “milagrosos”, o que enche os olhos de quem busca se enquadrar em um padrão de beleza estereotipado e extremamente rigoroso. Blogueiras fitness leigas propagandeiam práticas que prometem facilidades ou benefícios baseados no senso comum, com pouca ou nenhuma evidência científica, induzindo modismos e padrões alimentares que podem causar danos à saúde e comprometer a segurança alimentar e nutricional. O CFN recomenda que as pessoas analisem, de forma crítica, as informações divulgadas e busquem acompanhamento clínico somente do profissional inscrito nos conselhos regionais.

Contra a banalização

Os Conselhos Regionais de Nutricionistas (CRN) têm como função fiscalizar e orientar o exercício profissional em suas respectivas jurisdições. Periodicamente, são realizadas visitas de monitoramento ou acolhidas denúncias para evitar e coibir o exercício irregular ou ilegal da profissão. O Sistema CFN/CRN também envia denúncias ao Ministério Público da União ou dos estados para que possam adotar providências em respeito à lei e defesa dos interesses da sociedade. Em caso de notório exercício ilegal, o infrator pode ser acionado, por meio de ação cível, a prestar esclarecimentos na Justiça Federal.

Orientação confiável

Existem informações divulgadas na mídia que não são apuradas com responsabilidade, diferentemente dos periódicos científicos respeitados, que possuem um corpo editorial qualificado e prima por avaliar com cuidado o seu conteúdo. A reflexão crítica e a averiguação sobre possíveis conflitos de interesses sempre são necessárias. Por vezes, pessoas ou instituições recebem benefícios para disseminar produtos e serviços não propriamente saudáveis. É importante analisar quem está dando a orientação; se o embasamento é confiável; se a prática recomendada está de acordo com os hábitos, a condição fisiopatológica e a situação financeira do paciente; se a estratégia é sustentável a longo prazo; se atrapalha a convivência social; se é a melhor opção para alcançar o objetivo desejado; e se pode causar riscos ou danos à saúde.

Consulta online

O CFN não concorda com a prática desse serviço. Segundo o Código de Ética do Nutricionista, no contexto de suas responsabilidades profissionais, é vedado realizar consulta clínica, diagnóstico nutricional e prescrição dietética pela internet ou por qualquer outro meio que configure atendimento não presencial. O conselho entende que a comunicação online pode complementar o atendimento, mas não substituir a relação interpessoal entre paciente e nutricionista. A consulta nutricional pressupõe diálogo, confiança, empatia e deve incluir avaliação adequada e orientação individual.

Em defesa do cidadão

Se a consulta é destinada aos residentes no território brasileiro, independentemente se o profissional resida ou tenha feito curso de graduação fora do Brasil, ficará sujeito à fiscalização e a penalidades previstas no Código de Ética dos Nutricionistas.

Manifestação e coibição

Quem se sentir enganado por blogueiras fitness leigas ou consultoras formadas fora do país pode fazer denúncia por escrito ao Conselho Regional de Nutricionistas da sua jurisdição, ao Ministério Público ou à autoridade policial, com as devidas fundamentações, provas e indícios para apuração dos fatos. Essa é uma das formas de coibir o exercício ilegal da profissão e exercer o nosso direito como cidadão, exigindo serviços de qualidade por profissionais habilitados e qualificados, evitando riscos à saúde.