O CFN participou, em 6 de junho, do I Fórum de Discussão de Combate à Desnutrição Hospitalar e do lançamento da campanha “Diga não à desnutrição”, da Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral (Braspen). O objetivo desse movimento é reduzir as taxas de desnutrição hospitalar, por meio de uma série de ações, que incluem triagem, diagnóstico, manejo e tratamento desse tipo de desnutrição.
Dados da Braspen apontam que a desnutrição hospitalar atinge cerca de 60% dos pacientes internados, fator que aumenta em quatro vezes o risco de lesão por pressão, três vezes o tempo de internação e eleva, consideravelmente, os custos hospitalares. Durante a estada do paciente no local, há a piora progressiva desse quadro, sobretudo em idosos e pacientes críticos. Ao contrário do que muita gente pensa, essa condição é encontrada com frequência no ambiente hospitalar público ou privado.
A campanha nacional, que será reforçada durante todo o mês de junho, destaca 11 passos fundamentais para combater a desnutrição hospitalar:

1- Determine o risco e realize a avaliação nutricional;
2- Estabeleça as necessidades calóricas e proteicas;
3- Saiba a perda de peso e acompanhe o peso a cada 7 dias;
4- Não negligencie o jejum;
5- Utilize métodos para avaliar e acompanhar a adequação nutricional ingerida vs estimada;
6- Tente avaliar a massa e a função muscular;
7- Reabilite e mobilize precocemente;
8- Implemente pelo menos dois Indicadores de Qualidade;
9- Continuidade no cuidado intrahospitalar e registro dos dados em prontuário;
10- Acolha e engaje o paciente e/ou familiares no tratamento; e
11- Oriente a alta hospitalar.

É importante destacar que a identificação precoce da desnutrição, bem como o manejo, por meio de ferramentas recomendadas, possibilitam estabelecer a conduta nutricional mais apropriada para superá-la, melhorando o desfecho clínico nesses pacientes